NOVA ESPERANÇA DO SUL

Acredita-se que a habitação local teve início em 1860, com a chegada de imigrantes italianos, que deram-lhe o nome de Nova Milano. As primeiras famílias que aqui se estabeleceram, perceberam que o local inspirava um futuro promissor e, em 1905, rebatizaram-no de Nova Esperança do Sul.

A primeira Igreja foi construída em madeira, onde está localizada a praça central. Como não havia escola no distrito, a igreja serviu de sala de aula, onde o Senhor Pedro Poncho, pago pelos alunos, foi o primeiro professor.

A comunidade não mediu esforços e doou uma área para que nela fosse construída a Igreja Matriz, em alvenaria, em 1918.

Em 1º de agosto de 1933 foi fundado o Grupo Escolar Rural. A escola funcionou na casa do Sr. Gentil de Oliveira Prestes, que era escrivão distrital, até que, no dia 26 de dezembro de 1934, um grupo de senhores doaram um terreno à Prefeitura Municipal e construíram um prédio em sistema de mutirão, concluído em 1937.

Em março de 1986, um grupo de pessoas se reuniu para formar a comissão de emancipação que, após muito trabalho e plebiscitos adiados, acabou ocorrendo em 20 de dezembro de 1987. em 13 de abril de 1988, pela Lei Estadual n°. 8.559, foi criado o município de Nova Esperança do Sul.

A área do município é de 190,8 km². O clima predominante é o subtropical, com temperaturas que variam de 2° a 37°. Localiza-se na região Centro-Oeste do Estado do Rio Grande do Sul. Limita-se, ao Norte, com o município de Santiago; ao Leste, com Santiago e Jaguari; ao Sul, com Jaguari e, ao Oeste, com São Francisco de Assis. Dista 445 km da Capital do Estado, Porto Alegre, tendo ligação asfáltica com os principais centros do Estado.

Nova Esperança do Sul possui uma Escola Municipal de Educação Infantil, uma Escola Municipal de Ensino Fundamental e um Colégio Estadual de Ensino Fundamental e Médio.

A população estimada em 2008 é de 4.870 habitantes e a expectativa de vida da população, ao nascer, é de 76 anos.

Situado em uma região onde a economia tem como uma das principais sustentações a agropecuária, o desenvolvimento deu-se graças ao árduo trabalho dos imigrantes e à fertilidade do solo areno-argiloso que a cada ano apresentava uma produtividade maior. A agropecuária continua sendo, hoje, um dos setores básicos da economia do município.

Um setor de importância para a economia do município é a indústria coureiro automotivo, aeronaves, moveleiro e calçadista, onde a empresa Gobba Leather destaca-se pois, além de exportar os seus produtos para vários países da Europa, Ásia e Américas do Norte e Sul, utiliza a mão de obra de uma boa parcela da população do município. Destaca-se, também, o Berçário Industrial, onde, em parceria com a Prefeitura Municipal, funcionam 08 microempresas, nos setores de confecções, serigrafia e coureiro-calçadista. Há, também, indústrias de esquadrias metálicas e de madeira, bem como microempresas nas mais diversas atividades, destacando-se fábricas de botas, calçados e selarias.

No setor comercial, temos: tecidos, vestuários, calçados, artigos de bazar e utilidades domésticas, bebidas, móveis e materiais de construção.

A cidade é rica em atrativos naturais, destacando-se a Gruta Nossa Senhora de Fátima, formação subterrânea de maior capacidade de visitantes da América Latina, abrigando até 7 mil pessoas em uma única sala. Dista 8,5 km da sede do município. Na área onde está localizada, existem duas cascatas de singular beleza que contribuem para destacar o complexo que a mãe natureza construiu. Sempre, no último domingo do mês de janeiro de cada ano, é realizada uma festa religiosa em honra à Nossa Senhora de Fátima, padroeira da gruta. A cidade também possui balneários com espaço para camping e prática de esportes.

Há uma forte religiosidade na população, com uma diversificação de culturas religiosas.

Duas festas são tradicionais para a população: uma é na noite de 24 de dezembro, véspera de Natal, onde grupos de cantores visitam as famílias, entoando a música “Noite de Natal”, na língua Italiana e Portuguesa, e a outra na virada do Ano-Novo, festeja-se com uma grande salva de fogos e seguem-se visitas de grupos de crianças às famílias que, desejando-lhes um bom princípio de Ano-Novo, recebem, em troca, balas e doces.

 


Compartilhe!